dia da:

11 DE junho, DIA DA BATALHA NAVAL DE RIACHUELO

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Aprovação do Orçamento de 2016 manterá grau de investimento do país, diz Fazenda

15/10/2015 23h19
Brasília
Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil

A aprovação do Orçamento de 2016 é importante para o país retomar o crescimento e manter o grau de investimento, informou nesta noite o Ministério da Fazenda. Em nota, a pasta manifestou-se sobre o rebaixamento do Brasil pela agência de classificação de risco Fitch, 11 horas depois de a decisão ser divulgada.

“O Ministério da Fazenda reitera a confiança na capacidade da economia brasileira de retomar um ciclo de crescimento após a aprovação do Orçamento 2016, sinalizando um fortalecimento do seu desempenho fiscal”, destacou o texto.

De acordo com o comunicado, a economia brasileira tem respondido às medidas de ajuste fiscal tomadas no início do ano. No entanto, somente a aprovação de um Orçamento com superávit primário – economia para pagar os juros da dívida pública – de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) permitirá que a estabilização continue.

“O próximo passo é a estabilização fiscal, que se manifesta pela aprovação do Orçamento de 2016, visando a um resultado primário de 0,7% do PIB e receitas adequadas para suportar esse esforço”, ressaltou a Fazenda.

O ministério destacou ainda que o país tem elementos de segurança para enfrentar a crise, como reservas internacionais em volume significativo, uma economia doméstica grande e diversificada e um histórico recente de conquistas econômicas e de inclusão social. A nota, no entanto, advertiu de que o país só poderá tirar proveito dessas características se fizer o ajuste fiscal com rapidez.

“Essas vantagens permitirão que o atual ciclo de reequilíbrio da economia seja virtuoso se as medidas para tal forem tomadas tempestivamente”, informou o comunicado. O texto reiterou pontos abordados ontem (14) pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em audiência pública na Câmara dos Deputados. Segundo o ministro, o ajuste fiscal é apenas a primeira etapa para a estabilização da economia.

“A estabilização fiscal abrirá caminho para a retomada da demanda, a estabilização da moeda e redução dos prêmios de risco com efeitos benignos na inflação, no crédito e nos juros. Esse círculo virtuoso se sustentará em ações estruturais e do lado da oferta, desenvolvidas em paralelo e seguindo as iniciativas necessárias para a aprovação do Orçamento 2016”, concluiu a nota.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: Agência Brasil