dia da:

11 DE junho, DIA DA BATALHA NAVAL DE RIACHUELO

domingo, 30 de junho de 2013

Itália encara pênaltis, bate Uruguai e é 3º lugar

Publicação: Domingo, 30/06/2013 às 16:14:43

A desgastada Itália precisou participar de mais uma disputa de pênaltis para derrotar o Uruguai e conquistar a terceira colocação da Copa das Confederações. Menos de três dias após uma longa partida contra a Espanha, na qual acabou sendo derrotada nos tiros da marca penal, a equipe dirigida por Cesare Prandelli triunfou em Salvador.

Os italianos estiveram à frente no placar duas vezes, mas sofreram com o ótimo Cavani, autor dos gols que definiram o empate por 2 a 2 ao fim dos 90 minutos. Os uruguaios só buscaram o ataque no segundo tempo da prorrogação, quando ficaram com um homem a mais, e acabaram sendo castigados nos pênaltis: 3 a 2.

Forlán, que já havia perdido um tiro livre decisivo na semifinal contra o Brasil, abriu a série batendo no meio e parando em Buffon. De Sciglio também perdeu sua cobrança, mas Buffon voltou a aparecer nos chutes de Cáceres e Gargano, fechando a disputa com a bola em suas mãos.


Fonte: Gazeta Esportiva/clicabrasília

Força Nacional e Exército reforçam segurança no Maracanã

30/06/2013 - 15h17
Nacional

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – O Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã, está com esquema de segurança reforçado para a partida final da Copa das Confederações, um jogo entre o Brasil e a Espanha marcado para as 19h de hoje (30). Além dos policiais militares e homens da Força Nacional de Segurança que já participaram do esquema nos dois jogos anteriores no estádio, militares do Exército estão a postos dentro do Maracanã.

Homens do Batalhão da Guarda do Exército estão posicionados na Escola Municipal Friedenreich, que integra o complexo esportivo do Maracanã. Outra novidade do esquema de segurança é o aumento do número de barreiras policiais no entorno do estádio. Se nos outros dois jogos os policiais do Batalhão de Choque e da Força Nacional fizeram barreiras apenas nos acessos da Radial Oeste, agora homens da Polícia Militar fazem barreiras em todos os acessos, inclusive do lado da Rua São Francisco Xavier.

O esquema foi reforçado porque, além de ser o jogo mais importante do torneio, são esperadas manifestações do lado de fora do estádio.

Edição: Juliana Andrade

Fonte: Agência Brasil

Obama e família visitam prisão na ilha onde Mandela ficou preso por 18 anos

30/06/2013 - 15h54
Internacional
Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitou hoje (30) a Ilha de Robben, na qual o ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, Prêmio Nobel da Paz em 1993, ficou preso por 18 anos durante o regime de apartheid (segregação racial). Obama chegou ao local de helicóptero e teve como guia um ex-detento e companheiro de luta de Mandela, Ahmed Kathrada, 84 anos.

A visita da família Obama à Ilha de Robben ocorre no momento em que Mandela, de 94 anos, está internado em estado crítico, mas estável. Ele foi hospitalizado em Pretória há três semanas devido a uma infecção pulmonar.

No livro de visitas da prisão, Obama escreveu que viu "com humildade" o local onde "homens de coragem enfrentaram a Justiça e se recusaram a se curvar". "O mundo está grato aos heróis da Ilha de Robben, que nos lembram que nem grades nem celas têm a força do espírito humano", destacou a primeira-dama norte-americana, Michelle Obama, na sua mensagem no livro de visitas.

As filhas de Obama, Malia e Sasha, também participaram da visita. Na ocasião, o presidente e a mulher explicaram às filhas que o conceito de não violência política tem raízes na África do Sul. No final da tarde, a família Obama se reúne com  Desmond Tutu, Prêmio Nobel da Paz em 1984.

Em 1963, Mandela ficou seis semanas detido na Ilha de Robben. Depois passou mais 18 anos na ilha até 1982, quando foi transferido para outras prisões até a sua libertação em fevereiro de 1990. Mandela ficou 27 anos preso.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa // Edição: Juliana Andrade

Fonte: Agência Brasil

Marcha das Crianças mobiliza mais de 500 pessoas em protesto pacífico em Brasília

30/06/2013 - 13h11
Nacional
 
Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Mais de 500 crianças, adolescentes, pais e mães se uniram na manhã de hoje (30), ao som de música e com dança e histórias infantojuvenis, em um protesto pacífico, no Parque da Cidade, em Brasília, segundo cálculos da Polícia Militar (PM) e da organização do evento. A Marcha das Crianças surgiu da vontade de pais e mães de participar de protestos na cidade em defesa de melhorias sociais, do combate à corrupção e de mais ação das autoridades.

“Estou aqui porque eu quero mais escola para as crianças e também que as crianças consigam brincar mais e se divertir”, disse Marcelo, de 7 anos, filho da jornalista Ana Laura Cartaxo, de 28 anos, uma das idealizadoras do projeto. “Como mãe, acredito que devo ensinar aos meus filhos a importância de se manifestar e cobrar ações das autoridades”, disse .

As amigas Mariana Andrade, de 30 anos, e Fernanda Pinheiro, de 34 anos, uniram-se a Ana Laura e organizaram a Marcha das Crianças usando as redes sociais para mobilizar pais e mães da cidade. O esforço das três ganhou o apoio de artistas que promoveram uma manhã de festa e alerta no Parque da Cidade.

“A gente queria muito estar nos protestos, mas devido à rotina das crianças e da própria vida não deu, então o nosso modo de protestar é aqui”, disse a publicitária Fernanda Pinheiro. “Vamos manter a mobilização até que as autoridades respondam às expectativas da gente”, acrescentou a engenheira Mariana Andrade.

Catarina Pinheiro, de 6 anos, demonstrou que sabe exatamente por que participou da manifestação. “Eu estou aqui porque quero um Brasil melhor com mais escolas, mais saúde e transporte para todo mundo”, disse ela, filha de Fernanda.

A cozinheira Cleia de Araújo e o marido Francisco Gonzada dos Santos, que é servidor público, levaram ao protesto alguns dos 11 filhos. Segundo eles, a participação é importante para ensinar desde cedo a necessidade de cobrar os direitos e cumprir os deveres. “Trouxe meus filhos porque acredito que é importante reivindicar e correr atrás, é de cedo que se começa a ter consciência”, disse ela. “O Brasil tem uma taxa de impostos altíssima e não retribui isso para a população”, completou Santos.

As filhas do casal demonstraram que a lição ensinada pelos pais é válida. “Estou aqui porque logo vou fazer faculdade e discordo do sistema do Enem [Exame Nacional do Ensino Médio] para o ingresso na universidade, estou aqui também por isso”, ressaltou a estudante Yasmin Araújo, de 13 anos. “Falta um pouco de tudo: educação, saúde e transporte. Por isso acho importante participar dos protestos”, disse Kaylane Araújo, de 10 anos.

Em meio às cobranças, houve apresentações de teatro e dança. Bonecos gigantes encantaram as crianças, que seguravam faixas e cartazes, feitos pelos pais, exigindo melhorias sociais e o fim da corrupção no país.

Veja a galeria de fotos.

Edição: Juliana Andrade


Fonte: Agência Brasil

União Europeia cobra dos EUA investigações sobre suspeita de espionagem

30/06/2013 - 13h03

Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A Comissão Europeia – o órgão político da União Europeia (UE) - encaminhou hoje (30) dúvidas às autoridades dos Estados Unidos sobre a suposta espionagem em instituições e aguarda resposta. Segundo matérias publicadas na imprensa, a Agência Nacional de Segurança norte-americana (cuja sigla em inglês é NSA) é suspeita de monitorar a troca de e-mails e telefonemas.

As denúncias são baseadas em dados divulgados pelo ex-agente da NSA Edward Snowden. Há informações de que foram instalados microfones no edifício, mas também na rede de informática, que permitia ler os e-mails e monitorar a comunicação interna da União Europeia.

De acordo com as notícias divulgadas pela imprensa, desde 2008 especialistas em segurança da UE registam numerosas tentativas de ataques ao sistema de informática do bloco, na sede do Justus-Lipsius, em Bruxelas, no qual os ministros da União Europeia têm escritório e mantêm ligações de internet.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

Edição: Graça Adjuto

Fonte: Agência Brasil

Rio: após negociação com a polícia, manifestantes desocupam área externa da sede da CBF

30/06/2013 - 13h39
Nacional
Paulo Virgilio
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - Cerca de 40 integrantes da Frente Nacional dos Torcedores ocuparam na manhã de hoje (30) a nova sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. A ação foi pacífica e os manifestantes ficaram na área externa do prédio. Policiais militares foram chamados e, após uma negociação, os manifestantes se retiraram do local.

O movimento exige mudanças no comando da CBF e na organização da Copa do Mundo de 2014. O grupo também reivindica a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 202/2012, que visa à regulamentação desportiva.

Em comunicado à imprensa, a Frente Nacional dos Torcedores se define como “um movimento que luta por um futebol justo, democrático e popular”. De acordo com o grupo, o futebol brasileiro vivencia um processo de “elitização teatral, com os estádios populares transformados em arenas elitistas”.

Além de condenar os preços dos ingressos e a Lei Geral da Copa e de apontar denúncias de corrupção na CBF, o grupo defende um novo Estatuto do Torcedor, a ser elaborado com a participação direta da população.

Edição: Juliana Andrade

Fonte: Agência Brasil

Manifestantes encontram bloqueio da PM nas proximidades do Maracanã

30/06/2013 - 13h21
Nacional
Flávia Villela
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - Os manifestantes que saíram da Praça Saenz Peña, na Tijuca, em direção ao Maracanã, não conseguiram chegar à porta do estádio, onde o Brasil e a Espanha disputarão a final da Copa das Confederações, às 19h. Na esquina da Avenida Maracanã com a Rua São Francisco Xavier, a pouco mais de 100 metros do estádio, eles foram contidos pela Polícia Militar. Soldados do Batalhão de Choque bloqueiam o acesso, equipados com armas de efeito moral.

Os policiais também bloqueiam outras ruas que dão acesso ao Maracanã. Os manifestantes estão concentrados no local e até o momento não ocorreram incidentes.

Os participantes da mobilização portam bandeiras e cartazes com várias reivindicações, entre elas mais investimentos em saúde e educação públicas. Eles também gritam palavras de ordem contra os gastos e as remoções feitas por causa da Copa do Mundo de 2014 e de incentivo à população para aderir aos protestos.

Edição: Juliana Andrade // Matéria ampliada às 13h24

Fonte: Agência Brasil

Mandela segue em estado grave

Publicação: Domingo, 30/06/2013 às 11:00:00

O neto de Nelson Mandela diz que contestará uma ordem da Justiça para que mova os restos mortais de três membros da família ao túmulo original. A disputa de família ocorre em um momento em que Mandela, de 94 anos, permanece em estado crítico neste domingo em um hospital de Pretória.
Mandla Mandela, neto do líder sul-africano, emitiu um comunicado neste domingo dizendo que se sentia compelido a tomar medidas judiciais contra outros 16 membros da família que haviam pedido a transferência. A Justiça da África do Sul ordenou que os restos mortais de três filhos já falecidos de Nelson Mandela deveriam ser transferidos de volta para o túmulo da família em Qunu da aldeia vizinha de Mvezo, de acordo com o jornal sul-africano Sunday Times.
A disputa da família sobre o túmulo parece ser um prelúdio de desacordo sobre onde os restos mortais de Nelson Mandela ficarão após a morte do líder. Ambos os lados expressaram pesar sobre o caso ter se tornado de conhecimento público. Fonte: Associated Press.

Fonte: Agencia Estado/clicabrasília

ANP determina comercialização de diesel menos poluente em mais 385 municípios

30/06/2013 - 12h03
Meio Ambiente
Paulo Virgilio
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A partir desta segunda-feira (1º), a comercialização do óleo diesel S-500, com menor teor de enxofre, será obrigatória em mais 385 municípios brasileiros, em substituição ao S-1800, de acordo com determinação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Com a medida, cerca de 3 mil, dos 5,5 mil municípios brasileiros, reduzem a emissão de poluentes, beneficiando assim o meio ambiente e a saúde da população. O combustível é utilizado pela frota de caminhões, ônibus e outros veículos de uso rodoviário.

Sete estados brasileiros (a Bahia, o Espírito Santo, Maranhão, a Paraíba, Pernambuco, o Piauí e Sergipe) passam a comercializar exclusivamente o diesel S-500. Em Pernambuco, a exceção é a capital, Recife, e sua região metropolitana, que desde 1º de janeiro deste ano já oferecem o diesel S-10, ainda menos poluente. De acordo com a ANP, em 1º de janeiro de 2014 todo o diesel S-1800 será retirado do mercado brasileiro, substituído pelo S-500.

Desenvolvida de forma gradual pela ANP, a introdução do diesel com menor teor de enxofre vem sendo feita desde 2006. Naquele ano, o S-500 passou a ser comercializado em 237 municípios das regiões metropolitanas de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Belo Horizonte, Porto Alegre, do Recife, de Fortaleza, Salvador, Curitiba, Belém, Vitória, Aracaju, Campinas (SP), da Baixada Santista (SP), de São José dos Campos (SP) e do Vale do Aço (MG).  

A partir de 2009, em atendimento ao Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve) do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), a ANP elaborou diversas resoluções para o processo de transição. Atualmente, são três os tipos de óleo diesel comercializados no país, diferenciados pelos teores máximos de enxofre: S-10 (10 partículas por milhão – ppm), S-500 (500 ppm) e S-1800 (1800 ppm).

Edição: Graça Adjuto

Fonte: Agência Brasil

Estátua do papa Francisco em tamanho natural está em exposição em Buenos Aires

30/06/2013 - 11h41
Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília –  Uma estátua, em tamanho natural, do papa Francisco pode ser vista por quem passar perto do pátio da Catedral Metropolitana de Buenos Aires. No local, o então cardeal Jorge Bergoglio, eleito papa há três meses, celebrava diariamente missa. A escultura, feita em fibra de vidro e resina, fica em uma área fechada ao público, mas pode ser observada da rua.

A escultura parece real: o papa está com as vestes brancas, sorrindo e acenando. A estátua de Francisco foi colocada nas proximidades da imagem da Virgem de Lujan, padroeira da Argentina, que será exposta em fevereiro de 2014 no Vaticano. A estátua é obra do artista argentino Fernando Pugliese.

O artista planeja expor várias esculturas de Francisco em locais estratégicos da Argentina, em homenagem ao primeiro papa latino-americano. “Eu conheço Jorge Bergoglio há 14 anos. Sempre o admirei, sua personalidade muito humilde fascina-me”, disse o artista.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

Edição: Graça Adjuto

Fonte: Agência Brasil

Obama prepara anúncio da liberação de US$ 7 bilhões para a África

30/06/2013 - 10h44
Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília –   Em visita à África do Sul, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prepara para hoje (30) o anúncio de um plano de apoio ao Continente Africano no valor de US$ 7 bilhões. A ideia é que os recursos ajudem no acesso à eletricidade. O dinheiro será destinado à região da África Subsaariana, onde mais de dois terços da população vivem sem luz. Os recursos serão aplicados no prazo de cinco anos.

O chamado Plano Power Africa (Poder da África em tradução livre) envolve a Etiópia, Gana, o Quênia, a Libéria, a Nigéria e a Tanzânia. Segundo a Agência Internacional de Energia (AIE), a África Subsaariana necessita de um investimento superior a US$ 300 bilhões para tornar universal o acesso à eletricidade em 2030.

Ontem (29) Obama conversou com Graça Machel, mulher do ex-presidente sul-africano e Prêmio Nobel da Paz Nelson Mandela, e com parentes dele. Ele disse que não ia visitar Mandela, que está internado há três semanas, por respeito à família.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa // Edição: Juliana Andrade

Fonte: Agência Brasil

Agência Brasil errou - Governo organiza agenda para ampliar debate com movimentos sociais, diz ministro

30/06/2013 - 11h49

Brasília - A matéria "Governo organiza agenda para ampliar debate com movimentos sociais, diz ministro" permaneceu errada das 15h03 de ontem (29) às 11h40 de hoje (30). Paulo Bernardo é ministro das Comunicações, e não do Planejamento, como o texto informava.

Leia aqui a matéria corrigida.

Fonte: Agência Brasil

sábado, 29 de junho de 2013

Preços do etanol caem em todo o país, segundo números divulgados pela ANP

29/06/2013 - 17h23
Economia
Paulo Virgilio
Repórter da Agência Brasil
Rio Janeiro - Entre a última semana de abril e a quarta semana de junho, os preços finais do etanol hidratado para o consumidor tiveram uma redução de 6,8% em todo o Brasil. No mesmo período, a gasolina teve uma queda bem menor, de 0,9%. Com isso, a relação entre os preços entre o etanol hidratado e a gasolina comum caiu de 72% para 68% na média nacional. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a relação alcançou, pelo preço médio das últimas quatro semanas, 68,7%, a menor obtida desde junho de 2011.

Para a ANP, esse resultado pode ser atribuído em grande parte à resolução da agência reguladora que estabeleceu critérios para a aquisição e formação de estoque de etanol, mesmo durante a entressafra da cana-de-açúcar. A medida teve como objetivo estimular a previsibilidade da produção, por meio de contratos entre produtores e fornecedores e reduzir a volatilidade de preços decorrente de fatores conjunturais.

Ainda segundo a ANP, a recente desoneração fiscal pelo governo federal, que isentou o etanol do PIS/Cofins, também contribuiu para a queda de preços do combustível. Atualmente, há vantagem econômica no abastecimento com etanol hidratado, em relação à gasolina comum, nos estados de São Paulo, do Paraná, de Mato Grosso e de Goiás. Já em Minas Gerais e Mato Grosso do Sul, a relação de preços entre o etanol e a gasolina comum encontra-se próxima a 70%.

Edição: Davi Oliveira
Fonte:  Agência Brasil

OAB vai acompanhar ação da polícia em protesto no Maracanã

29/06/2013 - 18h19
Nacional
Paulo Virgilio
Repórter da Agência Brasil
               
Brasília - O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio de Janeiro (OAB/RJ), Felipe Santa Cruz, confirmou hoje (29) que a entidade vai acompanhar as ações de controle da Polícia Militar nas manifestações que poderão ocorrer amanhã (30), no entorno do Maracanã, durante a partida final da Copa das Confederações. A solicitação da presença de representantes da OAB partiu do próprio comando da Polícia Militar fluminense, que também convidou o Ministério Público e a Defensoria Pública.

Felipe Santa Cruz considerou positivo o convite e informou que a OAB/RJ atuará em sistema de plantão, assim como ocorre desde o início da série de manifestações, com advogados voluntários fiscalizando in loco a garantia dos direitos civis e democráticos. “O controle social e a transparência são fundamentais para que se cumpra corretamente o dever das Forças de segurança, desde que haja respeito estrito à cidadania. Também defendemos a liberdade de manifestação e expressão, dentro dos limites legais, e repudiamos atos de vandalismo”, disse o presidente da OAB/RJ.

Desde o dia 10 de junho, a entidade atua com uma equipe de cerca de 50 advogados voluntários, em sistema de rodízio, no acompanhamento das manifestações.

Edição: Talita Cavalcante

Fonte:  Agência Brasil

Setor público responde por apenas 42% dos gastos com saúde no país

29/06/2013 - 16h57
Nacional
Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro – Os governos federal, estaduais e municipais são responsáveis por apenas 42% dos gastos com saúde no país, enquanto as famílias e instituições sem fins lucrativos respondem pelos 58% restantes. Segundo dados de 2009, os mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os gastos públicos em saúde representaram 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto os gastos privados alcançaram 4,9%.

“Não alcançamos uma universalidade completa com o Sistema Único de Saúde [SUS]. A criação do SUS possibilitou a melhoria do acesso da população, mas essa melhoria do acesso ainda não é suficiente para cobrir as necessidades de saúde. Mais da metade dos gastos totais em saúde no país são gastos privados. Os gastos públicos não alcançam 50%. Nos países que têm realmente sistemas universais de saúde, os gastos públicos correspondem a 80%”, disse Lígia Giovanella, pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública.

Segundo ela, além de gastar menos do que as famílias, o Estado brasileiro também gasta menos do que outros países que possuem sistemas públicos universais, como a Espanha, o Reino Unido e a Suécia, que investem em torno de 7% a 9% do PIB.

“O SUS sofre de um subfinanciamento crônico. Quando a população vai às ruas clamar por mais recursos públicos na saúde, ela tem toda razão. Nosso gasto público com saúde é menor do que 4%. A gente precisa de pelo menos 8% do PIB. Precisamos dobrar os gastos. Nossas riquezas nacionais nos permitiriam ter gastos mais elevados com saúde”, disse.

De acordo com os últimos dados do próprio Ministério da Saúde, relativos a 2010, os gastos federais com saúde representaram R$ 63 bilhões. Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, o governo quase triplicou investimentos no setor entre 2002 e 2012, já que o valor investido na saúde passou de R$ 28,3 bilhões em 2002 para R$ 95,9 bilhões em 2012. Para 2013, há uma previsão de aumento para R$ 99,3 bilhões.

Além disso, de acordo com a assessoria, o ministério cumpre a Emenda Constitucional 29/2000, que determina que o investimento na saúde deve ser do mesmo valor do ano anterior, acrescido da variação nominal do PIB. De 2008 a 2012, o Ministério da Saúde diz que executou R$ 4,9 bilhões acima do exigido.

Em nota divulgada pela assessoria, o ministério vem adotando uma série de ações para aprimorar a gestão e otimizar o uso de recursos do SUS. As medidas incluem compra centralizada de produtos estratégicos, negociação direta do ministério com fornecedores, adoção de bancos de preços internacionais e produção nacional de medicamentos por meio de parcerias entre laboratórios públicos e privados.

Edição: Davi Oliveira
Fonte: Agência Brasil

Governo organiza agenda para ampliar debate com movimentos sociais, diz ministro

29/06/2013 - 15h03
Política
Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil
Brasília - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse hoje (29) que o governo pretende conversar com mais representantes de movimentos sociais na próxima semana. A finalidade é continuar a debater as reivindicações defendidas nos protestos que ocorrem em todo o país. Ele esteve neste sábado com a presidenta no Palácio da Alvorada.

“Achamos que o governo colocou uma agenda para o país e essa agenda vai ser desdobrada para a próxima semana, tanto a parte econômica, a questão da agenda de transporte urbano público, que é importante, e a agenda política do plebiscito. Na verdade, está sendo organizada uma agenda para a presidenta conversar com mais entidades e atores políticos esta semana”, disse.

Sobre o plebiscito que definirá uma reforma política para o país, ele disse que diante da “magnitude” das manifestações a reforma política é um dos pontos a serem dados como resposta à sociedade. “É urgente fazer uma reforma política. O congresso não tem conseguido avançar, até por um motivo muito simples, porque divide a classe política, portanto chamar o povo para opinar num ponto como esse é importante e urgente.”    

O governo conseguiu consenso em torno da proposta do plebiscito na quinta-feira (27), após dia intenso de reuniões entre a presidenta Dilma, presidentes de partidos e líderes da base aliada na Câmara e no Senado. No entanto, a data da consulta popular, questões e validade das mudanças ainda serão debatidas.

"O plebiscito é uma responta para um quadro de incerteza política, de um quadro onde você não consegue fazer avançar uma reforma política. Então estamos dando uma saída, que achamos que viabiliza uma reforma política, que é um dos pontos que deve ser dado como resposta a esta conjuntura", enfatizou Paulo Bernardo.
    
Edição: Talita Cavalcante//Matéria ampliada às 15h36.

Fonte: Agência Brasil

Brasileiros sobrevivem a inundações que mataram mais de 800 no Himalaia

29/06/2013 - 11h55
Internacional
Da BBC Brasil

Brasília - Dez brasileiros sobreviveram às fortes inundações que atingem a região da Cordilheira do Himalaia, no Norte de Índia, há 11 dias, e já deixaram mais de 800 mortos – na maior tragédia do tipo dos últimos 80 anos no país. Ao todo, cinco brasileiros que estavam em um grupo de turistas, três irmãos e um casal que viajavam pela região conseguiram escapar das enchentes.

O Itamaraty não divulgou os nomes dos sobreviventes. Os cinco turistas brasileiros que viajavam com um grupo de cerca de 40 estrangeiros, a maioria americanos e canadenses, foram surpreendidos pela violência dos rios na região montanhosa. O grupo conseguiu escapar da força das águas e depois eles caminharam rumo ao local de onde helicópteros fizeram o resgate.

"Foi realmente um milagre. Foi muito difícil para todos perceber que teríamos que caminhar até o outro lado da montanha para chegar até os helicópteros", disse o colombiano Luis Henao, que estava no grupo. "Estamos muito agradecidos às organizações locais e ao governo indiano. O rio estava vindo na nossa direção, e recuou para o outro lado, foi inacreditável."

O Norte da Índia é notório pela grande quantidade de ashrams, espaços de retiros espirituais, estudo de meditação e aulas de yoga, entre outras práticas. Segundo a Embaixada do Brasil em Nova Déli, outros três irmãos brasileiros estavam na região e, após sobreviverem à passagem das águas, tiveram de andar por dois dias atravessando as montanhas até serem resgatados por helicópteros.

Além deles, um casal que estava em um ashram de Rishikesh relatou ter passado momentos de preocupação, com cortes de energia e o clima generalizado de tensão. No entanto, como o local não foi atingido diretamente pelas inundações, os dois resolveram permanecer no retiro.

A embaixada explicou que a tragédia é realmente de proporções épicas e que alguns aspectos têm tornado o resgate cada vez mais difícil. Segundo a representação diplomática brasileira, ainda há regiões completamente isoladas, com muitas pessoas presas e muitos corpos soterrados.

Nesta época do ano, a região do Himalaia, que abriga uma série de importantes templos hindus e budistas, recebe a visita de milhares de peregrinos indianos e estrangeiros. As monções (chuvas sazonais), que geralmente chegam ao norte do país em julho, atingiram a região mais cedo neste ano e com uma violência não vista há muitas décadas.

Na quinta-feira (27), o governo indiano começou a cremar dezenas dos mais de 800 corpos dos mortos na tragédia e confirmou que ao menos 100 mil pessoas já foram retiradas das montanhas. As operações de resgate no local ocorrem com dificuldade. Na última terça-feira (25), muitas pessoas que estavam sendo resgatadas em um helicóptero morreram quando a aeronave caiu devido a uma tempestade. A previsão de mau tempo e neve em alguns dos pontos da cordilheira deve dificultar ainda mais os trabalhos das equipes de emergência.

Fonte: Agência Brasil

Médicos fazem protesto em Brasília contra a vinda de profissionais estrangeiros sem revalidação de diploma

28/06/2013 - 21h33
Nacional
Aline Leal
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Cerca de 350 médicos percorreram as ruas de Brasília em protesto contra a vinda de profissionais estrangeiros para o Brasil sem a revalidação do diploma. No começo da tarde a categoria se concentrou no início da Asa Sul, próximo ao centro da capital federal, e percorreu a Esplanada dos Ministérios pelo Eixo Monumental, tendo o Palácio do Planalto como destino final.

Para Iran Cardoso, presidente do Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRMDF), que organizou o protesto com a Associação Brasiliense de Médicos Residentes, o que falta é estrutura para a saúde pública e não médicos. “Não precisamos trazer ninguém de fora, precisamos é de leitos, medicamentos, uma estrutura mínima e uma carreira médica que atraia os profissionais brasileiros”, disse Cardoso.

A categoria ressalta que não é contra a atuação de médicos estrangeiros no Brasil, desde que eles façam o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos , o Revalida, que é elaborado pelo Ministério da Educação.

No meio da caminhada, os manifestantes pararam em frente ao Ministério da Saúde, onde pediram a saída do ministro Alexandre Padilha. Depois os médicos seguiram para o Palácio do Planalto, onde muitos deitaram no chão, mostrando onde está a saúde pública brasileira. O presidente do CRMDF conversou com um assessor representante da secretaria-geral do Planalto, que pediu que a categoria elaborasse um documento com as reivindicações para entregar à presidenta Dilma Rousseff.

Na avaliação de Paula Lima, residente de ginecologia, a vinda de médicos estrangeiros é uma medida que visa a enganar à população. “Médico não é mágico, sem estrutura podemos fazer muito pouco”, disse Paula. A maioria dos que protestaram era médico residente, pois, segundo Paula, essa parcela da categoria é a mais prejudicada, pois é quem sente a falta de estrutura no interior do país.
Em protesto, os médicos do Distrito Federal cancelaram cerca de 3 mil consultas médicas marcadas para hoje. Além disso, várias entidades médicas, entre elas o Conselho Federal de Medicina, estão organizando o Dia Nacional de Mobilização contra a Importação de Médicos Formados Fora do Brasil sem a Revalidação do Diploma, marcada para o dia 3 de julho, quando vai haver paralisação da categoria.

Segundo o Ministério da Saúde, o objetivo do governo é criar programas de autorização especial para que os profissionais que se formaram fora do país só possam atuar na atenção básica, nos municípios do interior e nas periferias das grandes cidades. De acordo com o ministro, a ideia do governo é evitar que eles entrem no país e depois saiam das regiões onde há carência de médicos e passem a disputar o mercado de trabalho com os brasileiros.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: Agência Brasil

posição do dia do Blog para conhecimento

Posição do dia do blog

Rumores de greve geral na segunda-feira circulam na internet

Sexta-feira, 28 de junho de 2013 - 18h24
Redes sociais
Estadão Conteúdo

Rumores de que haverá uma grande paralisação no País começaram a circular nesta semana nas redes sociais na internet. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo e a Polícia Militar (PM) ainda não possuem nenhum tipo de estratégia ou esquema especial por conta do burburinho virtual. A página do grupo AnonymousBrasil, que possui mais de um milhão de seguidores, tem compartilhado banners com a "chamada" para protestos às 17 horas, em todas as cidades do País.

De acordo com a assessoria da SSP, não há "até o momento" nenhuma informação de passeata ou protestos na segunda-feira. A assessoria da PM também afirmou que "como não há nada de concreto e confirmado, ainda não foi estabelecido nenhum esquema especial de segurança".

O Movimento Passe Livre (MPL) em São Paulo, que promoveu sete protestos na capital paulista desde o dia 6, afirmou no dia 21 feira que não convocaria novas manifestações na cidade. Além disso, há diversos avisos de usuários do Facebook pedindo boicote à suposta greve e alertando que a paralisação seria convocada por "oportunistas". 

Muitos criticam que o primeiro evento no Facebook denominado "Greve Geral", que chegou a ter milhares de seguidores e fazia referência ao ato de segunda-feira, teria sido feito por um internauta ligado a questões como a defesa do porte de armas. A falta de liderança explícita dos atos é o que tem causado incertezas sobre a ua realização.
Metrô

O Sindicato dos Metroviários da capital divulgou uma nota nesta sexta-feira afirmando que não participará de nenhuma paralisação na segunda-feira e que essa mobilização não tem caráter oficial. Segundo o sindicato, "diante da falsa informação que circula nas redes sociais sobre uma possível greve geral, marcada para o dia 1º de julho, segunda-feira, os metroviários, que desde abril têm participado de toda as mobilizações pela redução das tarifas dos transportes coletivos, informam que não vão parar no dia 1º". 

A entidade afirma ainda que a categoria fará uma assembleia na quinta-feira, 4, para discutir como será a participação dos metroviários no Dia Nacional de Luta, marcado para o dia 11, pelos sindicatos e centrais sindicais.

CUT

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) já havia divulgado nota na segunda-feira, 24, afirmando que "nem a CUT nem as demais centrais sindicais, legítimas representantes da classe trabalhadora, convocaram greve geral para o dia 1.º de julho". Conforme a CUT, a convocação para a suposta greve "surgiu numa página anônima do Facebook e é mais uma iniciativa de grupos oportunistas, sem compromisso com os/as trabalhadores/as, que querem confundir e gerar insegurança na população", diz o comunicado.

Fonte: A Tribuna

Justiça da Califórnia volta a autorizar casamento gay

Publicação: Sexta-feira, 28/06/2013 às 22:33:00

A união civil entre pessoas do mesmo sexo voltou a ser autorizada na tarde desta sexta-feira no Estado norte-americano da Califórnia, depois que o Tribunal Federal de Recursos da 9ª Região suspendeu o embargo a um artigo que há cinco anos proibia o casamento gay.
A decisão não era esperada, uma vez que o mesmo tribunal informou no início da semana que não se pronunciaria sobre o assunto "por pelo menos 25 dias".
Por meio de nota, o governador da Califórnia, Jerry Brown, disse ter ordenado que todos os 58 condados do Estado voltassem a dar andamento imediato os processos de união civil entre pessoas do mesmo sexo.
Cerca de uma hora depois da decisão, a procuradora-geral da Califórnia Kamala Harris, celebrou em São Francisco a união de Kris Perry e Sandy Stier, que vivem na vizinha Berkeley. Foi o primeiro casamento entre pessoas do mesmo sexo na Califórnia desde 2008. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Fonte: Agencia Estado/clicabrasília

Inflação em 2013 pode ser menor que no ano passado, diz secretário

28/06/2013 - 21h10
Economia
Wellton Máximo
Repórter da Agência Brasil
Brasília – Apesar de o Banco Central (BC) ter elevado para 6% a previsão de inflação para este ano, o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, disse que a equipe econômica continua trabalhando com a possibilidade de o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrar o ano abaixo dos 5,84% registrados em 2012. Segundo ele, a queda no preço dos alimentos e de bens duráveis e não duráveis permite que essa possibilidade seja considerada pela Fazenda.

“Um IPCA menor que o de 2012 é uma possibilidade e o governo está trabalhando com isso. Diversos produtos que pressionaram a inflação nos últimos anos, como o tomate e o arroz, têm apresentado queda consistente. Os alimentos, que chegaram a responder por 50% do IPCA em vários momentos nos últimos dois anos, hoje só representam 25% do índice”, explicou. Holland mencionou ainda os itens da cesta básicos, que foram desonerados em março e, segundo ele, também contribuíram para a queda do preço dos alimentos.

O secretário também destacou um recuo nos preços de bens duráveis e não duráveis. Segundo ele, isso pode ser traduzido pelo índice de difusão do IPCA, indicador que mostra o percentual de preços que subiram nos meses pesquisados. “Em janeiro, o índice de difusão chegou a 75% dos preços. Em maio, estava em 61,6%”, ressaltou.

Em relação à alta do dólar, que pode pressionar a inflação por causa das mercadorias importadas ou com componentes importados, Holland disse que ainda é preciso esperar o momento de turbulência no sistema financeiro internacional passar para saber em que nível o câmbio se acomodará. “Tivemos uma revisão na paridade atual, mas não sabemos exatamente para onde o câmbio vai. Temos de acompanhar um pouco mais antes de fazer uma estimativa sobre o impacto do dólar na inflação”, declarou.

Apesar do aumento da moeda norte-americana, o secretário alegou que os repasses do câmbio para a inflação no Brasil estão cada vez menores: “A taxa de transferência das variações do câmbio para a inflação são declinantes”.

O secretário fez as declarações ao comentar a definição da meta de inflação para 2015, fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em 4,5%, com tolerância de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo. Embora tenha ressaltado que a inflação esteja sob controle e descartado o risco de que o IPCA estoure o teto da meta (6,5%), Holland não quis projetar um prazo em que o índice convergirá para o centro da meta.

“Esperamos que a inflação chegue à meta no médio prazo, como é no regime de metas quando temos um quadro de choque de oferta. A inflação tem estado nos últimos dez anos controlada e dentro dos intervalos de tolerância estabelecido”, explicou o secretário. De acordo com ele, o intervalo de tolerância existe justamente para permitir a acomodação de choques de oferta, como as secas e as chuvas que elevaram o preço dos alimentos, sem comprometer a atividade econômica.


Edição: Aécio Amado
Fonte: Agência Brasil

Comunidade LGBT pede aprovação de leis que avancem nos direitos da identidade de gênero

28/06/2013 - 20h51
Nacional
Akemi Nitahara
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – A aprovação imediata do Projeto de Lei de Identidade de Gênero (que garante que qualquer pessoa seja reconhecida e tratada pela sua identidade de gênero) e do Projeto de Lei Estadual 2.054/2013 (que pune estabelecimentos e agentes públicos que façam discriminação em razão da orientação sexual e identidade de gênero) são algumas das reivindicações da Marcha pelo Dia 28 de Junho: Dia Mundial do Orgulho LGBT. Homofobia até Quando?, que reuniu centenas de pessoas em passeata da Candelária à Cinelândia.

O coordenador do programa Rio sem Homofobia, Cláudio Nascimento, diz que lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) são tratados como cidadãos de segunda classe, pela falta de legislação específica, como a que torna homofobia crime inafiançável.

“É um projeto de lei que já foi aprovado na Câmara e agora está sendo analisada pelo Senado. A lei criminaliza a discriminação contra LGBT. Ela inclui na lei antirracismo a orientação sexual e identidade de gênero como questões que não podem sofrer discriminação e crime de ódio. Assim, equipara o crime de ódio da homofobia ao racismo”, diz Nascimento.

Com o lema “Ambiente saudável é ambiente sem homofobia”, a Secretaria Estadual do Ambiente (SEA) apoiou a marcha. O secretário Carlos Minc diz que uma lei de sua autoria, que vigorou por 12 anos, proibia a discriminação em ambientes públicos e privados, mas foi derrubada pela Justiça por vício de iniciativa, por ser projeto de um deputado e tratar de serviço público.

“No estado do Rio o mais urgente é reaprovar essa lei, que é uma lei pioneira no Brasil. No ano passado, ela foi sustada, o certo seria o Tribunal de Justiça suspender apenas aquele artigo, que tratava do funcionalismo público, mas suspendeu tudo. Este ano nós conversamos com o governador Sérgio Cabral, que reenviou a lei, sem o vício de iniciativa. Agora a gente tem resistência na Assembleia Legislativa, apesar de não ser uma lei nova. Vários outros estados se inspiraram na lei e fizeram leis parecidas”.

O movimento teve também a participação de membros da Igreja Cristã Contemporânea, criada há quase sete anos e atualmente com seis igrejas no Rio, uma em São Paulo e uma em Belo Horizonte, totalizando 2 mil fiéis. O pastor Fábio Inácio diz que exerceu o mesmo cargo na Igreja Universal do Reino de Deus por quatro anos, mas, quando assumiu a sua sexualidade, começou a ser tratado como aberração.

“A nossa igreja não é uma igreja gay, é uma igreja como qualquer igreja, com o diferencial que abre as portas para os homossexuais. Eu sou homossexual também e entendemos que a igreja deve militar para todos. Gaysou eu, a minha igreja me aceita”.

Atriz, cantora e ativista, a travesti Jane de Castro foi fundadora da Parada Gay do Rio de Janeiro. Ela diz que a situação da comunidade melhorou muito, mas ainda precisa avançar. “Depende muito de nós, nós temos que sair, gritar. Nós não podemos ficar em casa ou trancada dentro de um armário. Nós temos que sair, trancar o armário e jogar ele no lixo. E começar a gritar: Fora Feliciano, fora os homofóbicos”.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: Agência Brasil

Ministro descarta uso da Força Nacional ou o Exército para garantir segurança durante visita do papa Francisco

28/06/2013 - 20h13
Nacional
Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - Apesar das manifestações ocorridas no país nas últimas semanas, muitas com ações de vandalismo, o governo brasileiro está tranquilo em relação à segurança do papa Francisco e dos mais de 2 milhões de católicos que virão ao Brasil em julho próximo para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), disse hoje (28) à Agência Brasil o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República. O evento está programado para o Rio de Janeiro, no período de 23 a 28 de julho.

Ele descartou a necessidade de recorrer à Força Nacional ou a tropas do Exército para garantir um ambiente de segurança e tranquilidade no Rio de Janeiro, durante o evento. “Absolutamente, não [será necessário]. Não pensamos em nada disso. Inclusive porque o público da jornada tem uma marca muito forte da solidariedade”. Ressaltou que, no mínimo, 1 milhão de pessoas de fora do Rio estarão na cidade para participar do evento. “E todo mundo vem com o espírito da paz, da fraternidade”.

Após reunião esta tarde, no Palácio Guanabara, com o governador Sérgio Cabral, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e o arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, o ministro disse que a vinda do papa, a seu ver, vai ajudar a elevar o nível desse processo de movimentos populares. “É uma chamada para a solidariedade e a fraternidade, que vai ao encontro da boa energia que está na rua. Nós achamos que, até lá, vai haver um processo de purificação, digamos”.

Carvalho ressaltou que nos próximos 30 dias, “muita coisa vai rolar ainda”. Observou que as manifestações estão cada vez mais repudiando o que é vandalismo. “Está havendo uma separação. A gente acha que até lá, vai estar ainda mais decantado. E, portanto, nós não estamos mais preocupados com esse aspecto”, disse. Para o ministro, embora as manifestações continuem, a Jornada Mundial da Juventude vai contribuir para o bom andamento do processo.

Durante o encontro, foram debatidos os últimos preparativos para a JMJ, incluindo questões de logística relativas à vinda do papa Francisco. “Foi uma espécie de revisão dos preparativos. Passamos a ele [arcebispo] a segurança de que tudo será feito para que tudo ocorra da melhor maneira possível, o Estado brasileiro assegurando não apenas a logística, mas todo o funcionamento da cidade, do país, naqueles dias”, declarou o ministro.

 Edição: Aécio Amado

Fonte: Agência Brasil

Governo dá reajuste de 24,8% a médicos-residentes

Publicação: Sexta-feira, 28/06/2013 às 20:48:00

A bolsa de residência médica terá reajuste de 24,8% a partir de segunda-feira, 1. A medida beneficia 23.134 residentes, que passarão a receber R$ 2.976,26 por mês, informa o Ministério da Saúde, em nota. A bolsa é paga aos profissionais que estão cursando residência médica e de outras áreas da saúde. "Este é o maior reajuste já feito no valor da bolsa", ressalta o texto.
O reajuste é anunciado justamente em momento que o governo sofre críticas de médicos brasileiros, diante da determinação de permitir a entrada de profissionais da saúde estrangeiros no País. Nesta sexta-feira, inclusive, médicos-residentes fizeram um protesto em Brasília. Os participantes do ato percorreram a avenida W3 Sul e depois seguiram para a Esplanada dos Ministérios gritando o lema "Ei, Dilma, vai tratar do SUS". Os manifestantes carregavam cartazes e entre alguns dizeres estavam "queremos saúde padrão FIFA" e "médico tem, falta gestão e respeito". O ato terminou em frente ao Palácio do Planalto.
A nota divulgada nesta sexta-feira informa que o aumento da bolsa de residência está previsto em Portaria Interministerial das pastas da Saúde e da Educação e começará a ser repassado a partir desta segunda-feira. "Esse é o maior reajuste já dado aos residentes do País e vai impactar em R$ 133,05 milhões no Orçamento do Governo Federal", cita o texto.
O governo argumenta que a ação faz parte de uma série de medidas que estão sendo adotadas pelo governo para estimular a formação de especialistas no Brasil e aumentar o número de médicos no país. "Serão criadas 12 mil novas vagas de residência até 2017, das quais quatro mil já nos próximos dois anos. Além disso, está previsto incentivo de R$ 100 milhões aos hospitais para expansão da oferta de cursos de residência", cita a nota divulgada nesta sexta.
"Estamos atendendo a reivindicação dos residentes e criando alternativas para aumentar a qualificação dos profissionais de saúde no País. A nossa meta é ofertar uma vaga de residência para cada médico formado", ressalta o ministro Alexandre Padilha, na nota. Para o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, a ação soma-se também a outra voltada à melhoria dos cursos de graduação, informa o texto. "A nossa maior preocupação é com a qualidade dos cursos oferecidos, de forma a garantir as condições adequadas para que nossos estudantes realizem a residência médica", destaca Mercadante.
Dos 23.134 médicos cursando residências no país, 2.284 profissionais participam do Pró-Residência, iniciativa do Ministério da Saúde que oferta bolsas em instituições públicas estaduais e municipais e sem fins lucrativos. Os demais 7.834 residentes atuam em instituições federais com incentivo pago pelo Ministério da Educação. Para outros profissionais de saúde existe a residência multiprofissional, com oferta de 5.285 bolsas.

Fonte: Agencia Estado/clicabrasília

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Termina hoje prazo para saque do abono salarial anual

28/06/2013 - 9h20
Nacional
Da Agência Brasil

Brasília – Os trabalhadores que recebem até dois salários mínimos (aproximadamente R$ 1,3 mil) têm até hoje (28) para retirar o abono salarial (R$ 678) referente a 2012/2013. De acordo com o último balanço divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), 1.070.848 trabalhadores ainda não sacaram o benefício, referente ao período 2012/2013. No total, cerca de 20,7 milhões de trabalhadores têm o direito de receber o benefício. Estima-se que tenham sido gastos mais de R$ 11,5 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) com os pagamentos em 2012.

Os requisitos para ter direito ao abono são: rendimento mensal até dois salários mínimos, informações cadastradas atualizadas na Relação Anual de Informações Sociais (Rais), cadastro no Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) há pelo menos cinco anos; além de ter carteira assinada ou ter sido nomeado para cargo público durante, pelo menos, 30 dias no ano em questão.

Para sacar o abono, o trabalhador deve ir às agências da Caixa Econômica Federal (no caso do PIS) ou do Banco do Brasil (no caso do Pasep) com um documento de identificação com foto e número de cadastro no programa. Quem tem o Cartão Cidadão e senha cadastrada também pode sacar o valor em caixas eletrônicos, lotéricas ou postos do Caixa Aqui.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: Agência Brasil

Mandela recebe visitas de parentes e amigos, enquanto simpatizantes prestam homenagens

28/06/2013 - 9h19
Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Internado há três semanas em estado grave, mas estável, o ex-presidente da África do Sul e Prêmio Nobel da Paz de 1993 Nelson Mandela recebeu hoje (28) visitas de parentes e amigos. Nas ruas, um número cada vez maior de manifestantes se unem para cantar e fazer orações por Mandela. Chamado de Madiba (cujo significado é O Conciliador), o ex-presidente é considerado um ícone da liberdade por sua atuação pelo fim do apartheid (regime de segregação racial) no país.    

Hospitalizado desde o dia 8 devido a uma infecção pulmonar, Mandela está no Mediclinc Heart Hospital, em Pretória. Em frente ao hospital, os manifestantes se aglomeram em meio às baixas temperaturas que atingem a cidade. Nos muros que cercam a instituição, eles colocam cartões e mensagens. Policiais cercam o local.

Nos arredores do hospital, há velas e flores espalhadas. Situação semelhante se repete em frente à casa de Mandela, no bairro de Houghton, em Joanesburgo. A expectativa é que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegue hoje a Pretória. Ontem (27), Obama se referiu a Mandela como "um herói do mundo".

De acordo com o presidente sul-africano, Jacob Zuma, Mandela registrou melhoras ontem, mas ainda permanecia em estado crítico embora estável.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

Edição: Graça Adjuto
Fonte: Agência Brasil

IPI para linha branca e móveis sobe a partir de segunda-feira

27/06/2013 - 19h24
Economia
Wellton Máximo*
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A partir de segunda-feira (1º), os móveis e três produtos da linha branca – fogão, tanquinho e geladeira – pagarão mais Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que as alíquotas reduzidas, que vencerão no fim de junho, serão parcialmente aumentadas.


Também será revogado, em parte, o imposto reduzido para laminados, luminárias, painéis de madeira e papéis de parede. De acordo com o ministro, a remoção gradual das desonerações ajudará a manter o equilíbrio fiscal. O governo estima que vá arrecadar R$ 118 milhões a mais entre julho e setembro por causa da medida.

“A recomposição de tributos estava anunciada desde o início do ano”, declarou Mantega. Ele também ressaltou que não existe mais espaço fiscal para novas desonerações, como as pedidas por produtores de aço na última terça-feira (25). “Temos de colher frutos das desonerações aplicadas e em curso, mas também temos de melhorar a arrecadação e o desempenho fiscal. Em função disso, novas desonerações não estão previstas”, acrescentou.

As novas alíquotas valerão até o fim de setembro. O IPI sobe de 2% para 3% no caso dos fogões, de 7,5% para 8,5% para geladeiras, de 3,5% para 4,5% para tanquinhos. Para móveis, painéis de madeira e laminados, a alíquota passa de 2,5% para 3%. Para as luminárias, o imposto aumenta de 7,5% para 10%. O IPI para papéis de parede subirá de 10% para 15%. Para máquinas de lavar, o imposto está definitivamente mantido em 10% desde o ano passado.

Mantega disse ainda que pediu aos empresários que não repassassem o imposto maior para os preços. “Conversei com o setor, e os empresários me informaram que procurarão absorver o aumento de tarifas de modo que o preço não se eleve. O setor fará um esforço para não venha prejudicar vendas, nem aumentar a inflação”, declarou.

* Colaborou Daniel Lima

Edição: Aécio Amado

Fonte: Agência Brasil

Indústria da construção cresceu 4,5% em 2011, diz IBGE

Publicação: Sexta-feira, 28/06/2013 às 10:15:00

A crise da zona do euro não foi capaz de interromper o ritmo da atividade da construção civil no Brasil em 2011, mostra a Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC), divulgada nesta sexta-feira, 28. O estudo produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que as incorporações, obras e serviços realizadas pelas empresas do setor totalizaram R$ 286,6 bilhões, o que representa um crescimento de 4,5% em termos reais em relação a 2010. No mesmo período de comparação, a receita operacional líquida do segmento teve uma alta de 3,2%, para R$ 268,5 bilhões.
Segundo o IBGE, a desoneração do IPI em material de construção, o aumento dos desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para obras de infraestrutura e a forte expansão do crédito imobiliário explicam esse desempenho. Além disso, os investimentos oriundos de ações do governo federal, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Minha Casa Minha Vida, também contribuíram para a alta. Juntos, esses fatores acabaram minimizando os efeitos da conjuntura econômica internacional mais adversa no ano de 2011.
O bom desempenho da indústria de construção teve reflexos positivos na quantidade de pessoas empregadas pelo setor e na massa salarial associada. O levantamento do IBGE mostra que o número de pessoas ocupadas pela indústria cresceu 7,7% de 2010 para 2011, adicionando 190 mil novos postos de trabalho. Já o salário médio mensal era de R$ 1,437 mil. Descontada a inflação do período, o IBGE informou que houve um aumento real de 3,8% sobre a média de 2010, que foi de R$ 1,305 mil.
No universo de 92,7 mil empresas de construção analisadas pelo IBGE, 50% da receita bruta são provenientes das 1,516 mil companhias que empregam 250 ou mais pessoas. Em 2007, aponta o estudo, esse porcentual era de 47,9%. Especificamente sobre a divisão de obras de infraestrutura, que compreendeu um conjunto de 9,2 mil empresas em 2011, o trabalho do IBGE sinaliza uma tendência de concentração da atividade. As 12 maiores companhias dessa divisão concentravam mais de um quarto das obras (28,6% em 2011 ante 26% em 2007) e o valor das médio das obras executadas era de R$ 2,9 bilhões, enquanto o número das demais empresas era significativamente menor: R$ 5,2 milhões.
O trabalho produzido pelo IBGE mostra que o Sudeste continuou liderando a atividade da indústria de construção no País. Contudo, entre 2007 e 2011, a região Nordeste registrou os maiores crescimento em termos de participação de pessoal ocupado, com acréscimo de três pontos porcentuais, e de valor das incorporações, obras e serviços da construção, com aumento de dois pontos percentuais.

Fonte: Agencia Estado/clicabrasília

Passeata no centro do Rio termina sem ocorrência de vandalismo

27/06/2013 - 22h32
Nacional


Da Agência Brasil

Rio de Janeiro – A manifestação que reuniu cerca de 5 mil pessoas no centro da capital fluminense, segundo estimativa da Polícia Militar (PM), terminou sem qualquer registro de tumulto. Os manifestantes saíram em passeata da Candelária até a Cinelândia. Eles fizeram o percurso pela Avenida Rio Branco, que foi bloqueada ao tráfego de veículos. Da Cinelândia, as pessoas que participavam do protesto seguiram pela Avenida Presidente Antonio Carlos até a Rua da Assembleia, onde fica a sede da Federação de Transportes do Rio de Janeiro. Em nenhum momento houve ocorrência de vandalismo.

O esquema de policiamento montado foi maior que o da manifestação anterior. De acordo com a PM, foi usado um efetivo de 1.400 homens, distribuídos estrategicamente pelas principais ruas e avenidas do centro da cidade. Cerca de 200 militares protegeram o Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Durante a passeata, os manifestantes portavam cartazes com frases contra os gastos na reforma do Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã. Eles criticavam o estado precário das áreas de saúde e educação, caso da engenheira química Cristiane Passos. "Este tipo de manifestação é muito válido e já deveria estar ocorrendo há muito tempo. A diferença entre classes sociais no país é gritante. Não há investimento em políticas sociais, vide situações de violência muito banais. A gente tem que continuar nas ruas, com objetivos bem mais claros", disse.

Um grupo de militares do Corpo de Bombeiros também participou da manifestação e defendia a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 300, que estabelece a equiparação salarial de bombeiros, militares e policiais civis de todo o país. Eles cobravam ainda anistia para os bombeiros exonerados nos protestos de 2012, quando o Quartel Central da corporação, na Praça da República, foi tomada em um ato de protesto. Com as manifestações, o subtenente Macedo estava otimista quanto ao atendimento das reivindicações da categoria. “Agora nós temos uma grande oportunidade do nosso sonho acontecer", disse.

Vários índios que ocuparam a sede do antigo Museu do Índio, no Maracanã, até abril deste ano, carregavam uma faixa com a frase: "Aldeia Maracanã Resiste". Eles manifestaram ainda a indignação com a forma como o governo do estado agiu para tirá-los do prédio. "A gente espera que com toda a pressão do povo e da população indígena que já estava correndo atrás dos nossos direitos, o governo não tenha outra escolha a não ser ceder", disse o índio Kaiah.

Os manifestantes também criticaram a operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar (PM), na favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, que resultou na morte de dez pessoas, na última segunda-feira (24). Eles gritavam palavras de ordem contra o governo do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e contra a ação da PM na comunidade.

Edição: Aécio Amado

Fonte: Agência Brasil





Tarifa zero promove inclusão social e impulsiona a economia, diz idealizador da proposta

27/06/2013 - 22h14
Nacional
Daniel Mello
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Além de promover a inclusão social, a gratuidade do transporte público traz impactos positivos à economia, segundo ex-secretario municipal de Transportes de São Paulo, Lúcio Gregori. “É uma bruta inclusão social. Mais do que isso, tem efeitos positivos na economia, porque as pessoas vão consumir mais. As pessoas chegam a mais lugares para consumir coisas: ao teatro, ao cinema, à festa, ao bar, à escola, em todos os lugares tem mais gente chegando”, disse ao participar de uma aula pública em frente à prefeitura paulistana organizada pelo Movimento Passe Livre (MPL).

A calçada, que ficou lotada na noite de hoje (27) de jovens sentados para escutar a palestra, ainda tinha cacos de vidro remanescentes do último protesto do movimento, no dia 18, pela redução das tarifas de ônibus, trens e metrôs. Na ocasião, as vidraças da prefeitura e de duas agências bancárias na Praça do Patriarca foram depredadas. A revogação do aumento que tinha elevado as tarifas do transporte público de R$ 3 para R$ 3,20 na capital foi anunciada no dia seguinte pelo prefeito Fernando Haddad e o governador Geraldo Alckmin. Também participou da aula o professor aposentado do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo, Paulo Arantes.

Quando participou da administração da prefeita Luiza Erundina na capital paulista, Gregori elaborou o  Projeto Tarifa Zero, que pretendia subsidiar integralmente as passagens de ônibus com o aumento de impostos progressivos, especialmente o de Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU). O ex-secretário ainda defende o mesmo modelo para implantação do sistema em grandes cidades. “É óbvio que tem que arranjar dinheiro novo, alavancando o IPTU de grandes propriedades e de imóveis de luxo”, disse ao explicar que a proposta está ligada a uma reforma que torne a carga tributária mais justa.

“A sociedade brasileira é rica o suficiente para fazer uma política tributária em que os mais ricos contribuam para todos viverem em uma cidade que muda inteiramente com a gratuidade dos transportes”, acrescenta ao lembrar da desigualdade do sistema atual. “O Brasil tem uma carga tributária inversa do que tem que ser: quem ganha até dois salários mínimos paga mais imposto do que quem ganha mais do que 20. Quem ganha até dois salários paga 50%, quem ganha mais de 20 salários paga 26%, alguma coisa está errada”.

Gregori descarta ainda a vinculação da tarifa zero com a estatização do sistema de transportes. “Por acaso a coleta de lixo é estatal? Não tem nada a ver uma coisa com a outra”, compara. “Tem que pagar o custo operacional de uma frota contratada do setor privado, com planilha discutida publicamente e claramente. E não se cobra nada do passageiro”.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: Agência Brasil
Senado aprova urgência para projetos do passe livre estudantil e da ficha limpa no serviço público
27/06/2013 - 21h39
Política
Mariana Jungmann
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O plenário do Senado aprovou na tarde de hoje (27) os pedidos de urgência para o projeto de lei que trata do passe livre estudantil e para a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Ficha Limpa no Serviço Público. Com isso, as matérias terão prioridade na pauta de votação e devem ser votadas já na próxima semana, junto com o projeto que prevê 75% dos royalties do petróleo para a educação e 25% para a saúde.

O projeto do passe livre estudantil foi apresentado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), esta semana. Ele concede gratuidade nas passagens de transportes públicos urbanos para todos os estudantes matriculados regularmente em escolas e universidades. Para ter direito ao benefício, eles precisarão comprovar a frequência nas aulas.

As despesas com a gratuidade do transporte dos estudantes serão custeadas com recursos dos royalties do petróleo da camada pré-sal. Com a aprovação do projeto que destina 75% desses recursos para a educação, Renan Calheiros estipula no projeto de lei que uma parte seja destinada ao pagamento do transporte.

Assim como a do passe livre, a PEC da Ficha Limpa no Serviço Público também é uma das demandas apresentadas nas manifestações das últimas duas semanas em todo o país. Ela estende a todos os servidores públicos as mesmas regras da Lei da Ficha Limpa que valem atualmente para candidatos a cargos eletivos.

Com a urgência aprovada, na próxima semana o Senado vai definir uma nova pauta de PECs e projetos de lei que devem entrar na lista de preferência para votação no plenário do Senado. Todas as proposições deverão ser definidas de acordo com as reivindicações apresentadas por manifestantes em todo o país.

 Edição: Aécio Amado

Fonte: Agência Brasil

Desembargadores do RN recebem pena máxima do CNJ por desvio de recursos

27/06/2013 - 21h17
Justiça
Débora Zampier
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou hoje (27) a aposentadoria compulsória dos ex-presidentes do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), desembargadores Osvaldo Soares Cruz e Rafael Godeiro Sobrinho. Eles são acusados de envolvimento em esquema que desviou R$ 14,1 milhões do sistema de precatórios. A aposentadoria compulsória é a pena máxima pena administrativa que o CNJ pode aplicar a um magistrado.

Os precatórios são títulos de dívida de entes do Estado reconhecida por decisão judicial definitiva. A administração do pagamento desses valores é feita pelos tribunais de Justiça, razão pela qual foi possível o desvio de dinheiro na corte do Rio Grande do Norte.

A defesa dos magistrados alegava que as assinaturas que permitiram as fraudes eram falsas ou que os documentos foram posteriormente preenchidos. Após perícias, confirmou-se que as justificativas eram inverídicas. Para o relator, conselheiro Jorge Hélio, mesmo que não tivessem participado conscientemente dos desvios, os então presidentes não cumpriram devidamente a função de fiscalizar o pagamento de precatórios.

O esquema funcionou entre 2007 e 2011 sem desvios aparentes nos pagamentos, e sim nas sobras de caixa. Os beneficiários eram pessoas relacionadas à ex-chefe do setor, Carla de Paiva Ubarana Araújo Leal e a seu marido, George Luís de Araújo Leal. Os dois já foram condenados a dez e seis anos de prisão, respectivamente, e estão cumprindo pena em regime fechado.

Os desembargadores punidos hoje haviam sido afastados dos cargos e também respondem a processo criminal no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Edição: Fábio Massalli

Fonte: Agência Brasil

Comissão Mista de Orçamento adia para semana que vem votação do parecer preliminar da LDO

27/06/2013 - 20h42
Política
Iolando Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A Comissão Mista de Orçamento (CMO) adiou de hoje para terça-feira (2), às 14h30, a reunião para analisar o relatório preliminar do deputado Danilo Forte (PMDB-CE) ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2014. A discussão vem sendo adiada desde o início do mês por falta de acordo entre as lideranças partidárias.

Esta semana, três reuniões marcadas para a análise do parecer não ocorreram por falta de acordo. A aprovação do parecer dá início à fase de apresentação de emendas à proposta para que o relator-geral da LDO, Danilo Fortes, elabore o parecer final a ser votado pela comissão e depois pelo plenário do Congresso.

Hoje, o deputado Danilo Fortes cobrou a presença de interlocutores do governo na CMO para agilizar a votação do seu parecer preliminar. Segundo ele, as votações na comissão sempre são precedidas de negociações e acordos envolvendo governo e oposição. Segundo ele, atualmente, na comissão, essa articulação para votar o parecer preliminar não está ocorrendo.

Aprovado o parecer preliminar, deputados e senadores que integram a Comissão de Orçamento podem apresentar emendas para modificar o texto do relator. Com as emendas, Fortes elabora seu parecer final para ser aprovado pela CMO e depois levado à votação no plenário do Congresso.

Para entrar em recesso no dia 17 de julho, os parlamentares precisam antes aprovar a LDO, que serve de base e traça os parâmetros macro para a elaboração da proposta orçamentária a ser encaminhada ao Congresso até o dia 31 de agosto.

Edição: Aécio Amado

Fonte: Agência Brasil

Tarso Genro enviará à Assembleia Legislativa gaúcha projeto criando passe livre estudantil intermunicipal

27/06/2013 - 20h36
Nacional
Luciano Nascimento
Repórter da Agência Brasil

Brasília -  O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, anunciou na tarde desta quinta-feira (27) que enviará a Assembleia Legislativa do estado um projeto criando o passe livre estudantil na região metropolitanas de Porto Alegre, que abrange 33 municípios. Deverão ser beneficiados os estudantes que residem em um município e estudam em outro, especialmente os do ensino médio e universitário.

De acordo com o governo, o projeto será encaminhado em caráter de urgência até a próxima semana e também deverá atender às aglomerações urbanas do litoral norte; do sul (Eixo Pelotas/Rio Grande) e do nordeste (Eixo Caxias/Bento Gonçalves). A expectativa é que o projeto seja aprovado até início de agosto.

O impacto da medida no orçamento do estado é estimado entre R$ 8 e 10 milhões ao ano, o que significa 200 mil passes livres por mês. O governo também informou que vai solicitar à Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS (Agergs) a devolução e o arquivamento do processo de reajuste de 5,88%, que deveria ser aplicado em 1º de julho.

Edição: Fábio Massalli

Fonte: Agência Brasil

Manifestação teve depredações e feridos em Porto Alegre

Publicação: Quinta-feira, 27/06/2013 às 23:46:00

Grupos que se dispersaram da manifestação pela redução das tarifas do transporte público e mais recursos para educação depredaram automóveis, lojas e contêineres de lixo pelas ruas por onde passaram na noite desta quinta-feira, em Porto Alegre. Um levantamento prévio, feito por volta das 23 horas pela Brigada Militar, indicava que cinco pessoas foram presas e três ficaram feridas, sem gravidade, entre as quais dois soldados da corporação atingidos por pedradas.
As confusões começaram no local da concentração dos manifestantes. Enquanto a maioria dos cerca de 5 mil participantes do protesto permaneceu diante do Palácio Piratini, um grupo menor, com cerca de cem pessoas, saiu para o outro lado da Praça Marechal Deodoro e atirou pedras e rojões contra o Palácio da Justiça, sede de Judiciário.
Na sequência, saiu depredando contêineres de lixo e grades de lojas na Rua Jerônimo Coelho e Avenida Borges de Medeiros e seguiu para o bairro Cidade Baixa. Nas ruas em que passou, o grupo quebrou placas de sinalização e arrombou estabelecimentos comerciais e automóveis estacionados. No final da noite, repetiram-se as cenas de manifestações anteriores, com depredadores agindo e sendo perseguidos pela Brigada Militar em correrias pelo bairro.
A manifestação na Praça Marechal Deodoro reuniu público bem menor que as 20 mil pessoas da quinta-feira passada e as 10 mil pessoas de segunda-feira desta semana. Também teve carros de som e shows musicais. Uma comissão de 11 representantes dos manifestantes foi recebida pelo governador Tarso Genro, apresentou as reivindicações do movimento e ficou de receber respostas nos próximos dias.
O grupo que se desgarrou e partiu para as depredações saiu gritando "protesto não é festa". Por volta das 21 horas, o grupo maior deixou a praça e caminhou cinco quadras, até o Largo Zumbi dos Palmares, já na Cidade Baixa, onde permaneceu concentrado, pacificamente.

Fonte: Agencia Estado/clicabrasília

Em reunião com Dilma, base concorda com plebiscito

Publicação: Quinta-feira, 27/06/2013 às 23:46:00

A presidente Dilma Rousseff admitiu no encerramento da reunião com os deputado líderes dos partidos da base aliada que está fazendo as convocações para as conversas com todos os segmentos da sociedade para não deixar espaço para a oposição. A pouco mais de um ano das eleições presidenciais, Dilma quer protagonizar as discussões sobre as mudanças defendidas nos protestos nas ruas. "Nós do governo estamos assumindo as pautas para ocupar este espaço", disse a presidente, de acordo com um dos presentes.
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, endossou, dizendo que o governo está agindo, apresentando ações e propostas, para não deixar espaços vazios, porque eles não existem em política. A ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, foi a porta-voz da terceira reunião do dia, que durou mais de três horas e só acabou por volta das 22h. Na reunião, as lideranças dos partidos da base defenderam o plebiscito e se comprometeram a consultar os deputados de seus partidos para que eles apresentem propostas para as perguntas a serem feitas. A data ainda não está definida porque depende da resposta da consulta feita ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Mas todos reconhecem que muitas das propostas, como o fim ou não à reeleição e o número de anos do mandato não valerão para as eleições de 2014.
"Nós estamos efetivamente agindo, nos organizando e nos articulando para no menor prazo possível dar resposta para as ruas. Acho que essa é a resposta de um longo dia de reuniões", disse Ideli, na entrevista. De acordo com a ministra, a unidade dos partidos que compõem a base está comprometida em "um curtíssimo espaço de tempo" para responder com ações concretas que atendam às reivindicações que tomam conta das principais cidades do País.
O discurso do governo permanece o de que as propostas de reforma política têm de ser realizadas o quanto antes, mas que o plebiscito deve tratar apenas de temas específicos e sem abrir muito o leque de perguntas, limitando-se ao financiamento de campanha, lista aberta ou fechada para eleição e se o sistema seria proporciona, como é hoje, ou se alterado para majoritário ou misto.

Fonte: Agencia Estado/clicabrasília

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Estado de saúde de Mandela se agrava e presidente sul-africano cancela viagem

Publicação: Quinta-feira, 27/06/2013 às 09:50:00

O estado de saúde  do ex-presidente da África do Sul e Prêmio Nobel da Paz de 1993, Nelson Mandela, de 94 anos, agravou-se nas últimas horas. A piora no estado geral de Mandela fez o presidente sul-africano, Jacob Zuma, cancelar a viagem, marcada para hoje (27), a Maputo, capital de Moçambique – país que faz fronteira com a África do Sul.

Em comunicado divulgado pela Presidência da República, o governo informou que Zuma conversou com os médicos que asseguraram que “estão fazendo tudo para garantir o bem-estar” de Madiba (apelido de Mandela que significa O Conciliador).
O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, disse ontem (26) que o mundo reza por Mandela: "Um dos gigantes do século 20". Ki-moon destacou o papel de Mandela na luta contra o apartheid (regime de segregação racial) na África do Sul.

"Eu sei que os nossos pensamentos e orações são para Nelson Mandela e sua família, assim como para os entes queridos, todos os sul-africanos e para as pessoas que foram inspiradas pela sua vida notável e pelo seu exemplo em todo o mundo", disse. "Vamos mostrar a mesma convicção e a mesma motivação de trabalhar para o bem-estar e um futuro melhor para todos os africanos", acrescentou o secretário.

Mandela foi hospitalizado há quase três semanas, no último dia 8, em Pretória, devido a uma infecção pulmonar.


Fonte: Agência Brasil/clicabrasília