dia da:

11 DE junho, DIA DA BATALHA NAVAL DE RIACHUELO

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Dia Mundial da Osteoporose é lembrado em SP com alerta sobre riscos da doença

20/10/2015 15h22

São Paulo
Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil
Dia Mundial da Osteoporose é lembrado em SP com alerta sobre os riscos da doença em campanha no Conjunto Nacional

Uma equipe de profissionais de saúde da Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (Abrasso) atende, desde às 9h de hoje (20), no saguão do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, o público interessado em medir gratuitamente o teor de cálcio no organismo e em receber esclarecimentos sobre a prevenção da osteoporose, doença que causa perda da constituição óssea.

A campanha, que marca o Dia Mundial da Osteoporose, prossegue até às 17h. “Escutei no rádio sobre esse serviço e vim aqui me submeter ao teste”, afirmou José Roberto Brunherotto, 73 anos, após uma ultrassonografia calcânea. “Não entendo nada do que diz o resultado, mas a médica me disse que está tudo bem”, acrescentou.

Morador da Mooca, bairro da zona leste da cidade de São Paulo, onde há grande concentração de imigrantes italianos, Brunherotto informou que caminha muito e bebe leite todos os dias, hábitos que, segundo os médicos, o insere no grupo de comportamentos corretos contra o desenvolvimento da osteoporose.

De acordo com a endocrinologista Marise Lazaretti, da Abrasso, incluir na dieta diária laticínios como leite, queijo ou demais derivados ajuda a manter sob equilíbrio a formação óssea, contribuindo para evitar a doença. Conforme Lazaretti, o ideal é o consumo, na fase adulta, entre 800 a 1,2 mil miligramas desses alimentos, o equivalente a três copos de leite.

Além disso, a médica lembrou a importância das atividades físicas e da absorção de vitamina D. Também sugeriu que as crianças brinquem ao ar livre para obter ossos mais fortes.“O pico de aquisição da massa óssea ocorre na adolescência. Após os 30 anos, as pessoas começam a perder a calcificação. Nas mulheres, isso ocorre principalmente na menopausa”, esclareceu.

Marise Lazaretti advertiu ainda sobre os riscos das vítimas de osteoporose, que ficam mais suscetíveis às fraturas. Uma simples queda pode provocar quebra do punho, de uma vértebra ou do osso do quadril. Ela lembrou a importância das checagens esporádicas sobre composição de cálcio, que pode indicar a necessidade de um exame mais aprofundado denominado densitometria óssea.

No caso das pessoas que já desenvolveram a doença, o tratamento é feito com remédios para a reposição da massa óssea.

A confeiteira Katia Chan viu a propaganda sobre os testes no elevador da empresa onde trabalha e foi conferir sua constituição óssea. Ela saiu satisfeita com o resultado, mas questionou os conselhos sobre o ideal de nutrientes para as mulheres. “O salmão [peixe] que a gente encontra no mercado vem de cativeiros, alimentado com ração e corante. Penso que devemos tomar cuidado, porque, se o teor de ferro já for grande, estaremos consumindo excesso de ferro.”

Dados divulgados pela Abrasso indicam que a osteoporose afeta mais de dez milhões de brasileiros e um número superior a 200 milhões no mundo. Como medida de prevenção, a entidade recomenda um estilo de vida saudável. Segundo os dados, a alimentação deve ser balanceada e variada para se obter os nutrientes essenciais, especialmente cálcio, proteínas e vitaminas.

A Abrasso também recomenda exercícios físicos regulares e diferentes para estimular a produção de massa óssea e muscular, principalmente na infância e adolescência, além de banhos de sol diários de 10 minutos sem protetor solar, mas com os cuidados para não exagerar nessa exposição e acabar por prejudicar a pele.

Edição: Armando Cardoso

Fonte: Agência Brasil