dia da:

11 DE junho, DIA DA BATALHA NAVAL DE RIACHUELO

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

MARINHA AUTORIZA DOIS NOVOS CURSOS PARA TRABALHADORES AQUAVIÁRIOS


Conquista é fruto de intensa articulação do deputado Marcelo Squassoni (PRB) junto aos militares. Em breve, serão formados em São Paulo Moços de Convés e Moços de Máquinas

A Marinha do Brasil acaba de autorizar a criação de dois novos cursos de capacitação profissional voltados aos trabalhadores aquaviários, para a formação de Moço de Convés e Moço de Máquinas. O anúncio se deu após intensas articulações iniciadas pelo deputado federal Marcelo Squassoni (PRB), com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores Aquaviários de Guarujá e Região (Sintagre), junto aos militares.

Antiga reivindicação dos aquaviários, ambas as formações colaboram para a ascensão desses profissionais em suas carreiras. Squassoni iniciou as tratativas com a Marinha logo após assumir o mandato de deputado federal, em fevereiro deste ano. “É uma lacuna que se preenche depois de longos anos de luta. Hoje não temos cursos para Moço de Convés e Moço de Máquinas – que atuam em catraias e pequenas lanchas – no Estado de São Paulo. O mais próximo fica no Rio de Janeiro”, destaca o presidente do Sintagre, Luiz Carlos Ferreira Pontes.

“É uma importante conquista para esses trabalhadores, que aguardam há muito tempo essa boa nova para evoluir profissionalmente. Felizmente, a Marinha foi sensível ao nosso pleito”, afirmou Squassoni. A organização dos cursos foi confiada à Diretoria de Portos e Costas (DPC) da Marinha.

Não é a única
A conquista dos cursos de Moço de Convés e Moço de Máquinas não é a única causa ligada aos aquaviários assumida pelo deputado Marcelo Squassoni. Na última quinta-feira (12), o parlamentar se reuniu com o comandante da Marinha do Brasil, Almirante-de-Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, em Brasília, e reivindicou outra antiga meta dos trabalhadores: o reconhecimento da profissão de Marinheiro de Esporte e Recreio.

“O comandante da Marinha determinou a seus assessores que dispensem ao projeto de lei em favor dos marinheiros de Esporte e Recreio o mesmo cuidado dispensado aos projetos de maior interesse da Marinha, afim de que a tramitação se dê da forma mais ágil possível. Isso é muito significativo”, frisou Squassoni, bastante satisfeito com a deliberação dos militares.

Só na Baixada Santista, cerca de 10 mil trabalhadores pleiteiam o reconhecimento da carreira de Marinheiro de Esporte e Recreio, já criada pelo Ministério do Trabalho e Emprego em 2006. No entanto, ela ainda não foi reconhecida pela Marinha por detalhes burocráticos.

Até o momento, esses profissionais – que trabalham embarcados em iates e lanchas de passeio, por exemplo –, acabam sendo substituídos por amadores ou são registrados como trabalhadores domésticos. Até mesmo estrangeiros com origem em países que oferecem a capacitação adequada (como Filipinas e Indonésia, por exemplo) costumam vir para o Brasil ocupar colocações que poderiam ser destinadas a brasileiros, caso a profissão fosse devidamente reconhecida.

Mais informações:
Assessoria de Comunicação Deputado Marcelo Squassoni
Samanta Flor - (61) 3215 5550
Tadeu Ferreira Jr. - (13) 99133-8813