dia da:

11 DE junho, DIA DA BATALHA NAVAL DE RIACHUELO

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Candidato do PV defende transição para energia limpa

10/08/2014 11h57
10/08/2014 17h41
Brasília e Rio de Janeiro
Paulo Victor Chagas e Flávia Villela – Repórteres da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli


banner_eleições
O candidato do PV à Presidência, Eduardo Jorge, participou nesse sábado (9) de debate no Fórum Social Temático sobre Energia. Os organizadores do evento, intitulado Energia: Para Que, Para Quem e Como?, convidaram os presidenciáveis deste ano para discutir a política energética. Ao citar elementos que considera importantes para a transição da matriz energética do país, o candidato defendeu o fortalecimento das fontes de energias renováveis e o abandono gradual das não renováveis.

Para Eduardo Jorge, o Brasil deveria priorizar investimentos em fontes renováveis como a solar e a eólica. “A energia solar vai ser competitiva agora, do jeito que está caindo o preço e está subindo a tecnologia e a produção. Daqui a uns dez anos, ela vai ser competitiva com qualquer outro tipo de energia, talvez seja uma das mais limpas de todas”, avaliou. Segundo ele, o foco em biocombustíveis como o etanol também é uma possibilidade, desde que não haja prejuízos à produção de alimentos.

O debate ocorreu na Universidade de Brasília, onde os candidatos foram perguntados sobre os compromissos de seus programas de governo com a política energética, suas intenções de utilizar fontes de energia renováveis ou de continuar com alguns modelos energéticos atuais. De acordo com a organização do evento, oito candidatos à Presidência foram convidados. Dois compareceram (além de Eduardo Jorge, Zé Maria do PSTU esteve presente), e dois enviaram seus representantes (Eduardo Campos do PSB e Luciana Genro do PSOL).

“Sou ardorosamente favorável que nas grandes cidades brasileiras haja o pedágio urbano, porque o poluidor tem que ser pagador, ele tem que ajudar a transição dessa matriz. Tem que ter investimento em transporte público e limpo”, disse Eduardo Jorge, enfatizando que é necessário encontrar medidas para financiar a transição para um transporte menos poluidor, com incentivos a transportes sobre trilhos. “Não gastamos de forma eficiente a energia. Isso vale para tudo: a geladeira, a iluminação, o gasto com combustível”, disse.

Além de criticar a forma como o governo brasileiro vem lidando com o petróleo encontrado na camada do pré-sal, Eduardo Jorge propôs a substituição do programa de acordo nuclear que o Brasil tem com a Alemanha por um programa de cooperação em energia solar. “A Petrobras deveria transitar de uma petrolífera, datada para ser penalizada e cada vez mais taxada, para uma empresa de energia predominantemente renovável”, defendeu o candidato.

No Rio de Janeiro, o candidato participou do encerramento do Encontro Republica, que reuniu jovens de diversas partes do país. O candidato falou das propostas de governo do partido e respondeu perguntas dos participantes. Os pontos mais destacados por Eduardo Jorge foram o desenvolvimento pautado na sustentabilidade, mesmo que alguns setores parem de crescer, e uma reforma política no país. "Precisamos mudar a política brasileira para que ela não seja tão perversa e não destrua os partidos de ideais diferentes, que estão sendo destruídos por esse sistema político", declarou. Ele disse que, se eleito, a agricultura familiar, limpa e orgânica, com incorporação de tecnologia, será uma das prioridades do seu governo.

* Matéria atualizada às 17h41 para acréscimo de informação

Fonte: Agência Brasil