dia da:

11 DE junho, DIA DA BATALHA NAVAL DE RIACHUELO

sábado, 19 de novembro de 2016

Temer: governo vai prestigiar micro e pequenos empreendedores

Recuperação da economia
Presidente da República vê o setor como importante para a economia e para o mercado de trabalho do País
por Portal Planalto
Publicado: 03/11/2016 18h46
Última modificação: 18/11/2016 18h51
Foto: Marcos Corrêa/PR

Temer sancionou na semana passada as leis referentes ao Supersimples e ao Salão-Parceiro

O presidente da República, Michel Temer, afirmou que as recentes aberturas de linhas de crédito para as micro e pequenas empresas são uma forma de prestigiar os empreendedores brasileiros. Em entrevista ao Portal Planalto, ele ressaltou que o setor representa 27% da riqueza nacional.

Temer sancionou em 27 de outubro os projetos do Crescer sem Medo, que aumentam os limites de faturamento das micro e pequenas empresas e do microempreendedor individual. Além disso, houve ampliação do prazo para renegociação de dívidas com a Receita Federal para até 120 meses.

“São milhões nos bancos privados e outros tantos milhões nos bancos públicos que ficarão à disposição do micro, pequeno e médio empresário”, afirmou Temer, em referência ao anúncio feito pelo governo da linha de crédito de R$ 30 bilhões, com taxas reduzidas, para incentivar o empreendedorismo e apoiar as micro e pequenas empresas.

A justificativa é simples, de acordo com o presidente: “Esse setor representa 27% da riqueza nacional, por tanto temos de prestigiá-lo cada vez mais”. Os recursos devem ser usados para colocar projetos em prática, fazer investimentos, para capital de giro e para a aquisição de matérias primas e de máquinas.

Empregos

Atualmente, as micro e pequenas empresas respondem por 52% dos empregos formais no País e por 41% da massa salarial. “Para nós é importantíssimo que os micro e pequenos empresários tenham atuação maior", disse o presidente.

"Para que possam crescer e para que possam se transformar em grandes empresários e para que possam gerar riquezas para o nosso País”, argumentou.

Fonte: Portal Planalto